25 de fev de 2010

E de te amar assim, muito e amiúde.
É que um dia em teu corpo de repente.
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Nenhum comentário: