19 de fev de 2011

Deve existir uma espécie de bazar onde os sonhos extraviados vão parar.

16 de fev de 2011

Querido Horário de Verão, espero não encontrar com você TÃO CEDO.
E  a onda levou. É uma das frases que ninguém pronunciará pra mim. Eu não deixo a onda me levar, eu enfrento a correnteza vou contra o vento e se preciso mergulho fundo só pra não seguir o fluxo. Eu bato o pé e finco minhas raízes, comigo não tem dessa de amigo por temporada não, meus amigos são antigos e amizade pra mim é pra sempre mesmo. Eu não fico rodeando o pessoal que naquele momento me interessa mais, acho isso desrespeito com a vida do outro. Eu não tenho o direito de usar ninguém só pelo egoísmo de ter uma mente pequena. Eu sou ampla, tenho espaços. Tenho minha casa aberta para quem quiser se acomodar, gosto de graça de quem eu deixo aproximar. Talvez se eu tivesse o poder de ler mentes, algumas pessoas eu não teria deixado fazer parte da minha orbe protegida, mas isso acontece só com os mais argutos, pra se aprender que ter cautela e saber com e o que falar com algumas pessoas que vivem por temporadas é de extrema importância.Desconfio muito de quem conhece todo mundo, que adora todo mundo, que fala mal e depois coloca milhares de fotos em páginas de relacionamento. Atitudes que não encaixam no meu padrão de vida saudável. Há, entretanto, aqueles que gostam dessa maresia, de se deixarem ir, e vão indo, um dia aqui outro ali , e suas vidas cada dias ficam mais cheias de gente e mais vazias de pessoas, há quem ache a brevidade uma graça, nômades convictos, exploram todas as riquezas e depois migram, achando isso a coisa mais normal do mundo.
Aqui comigo, nada de orquídeas me sugando a floema, eu quero é cultivar minhas macieiras e ver os frutos de tempo em tempo. É mais bonito. 
- A coleta do exame de fezes é muito arcaica.
- 400 ml de sangue não faz falta.
- Fazer unha custa muito caro. Nem rola.
- Arrumar casa cansa.

15 de fev de 2011






De alguma maneira hoje, quero sempre casar com você...

para mim este amor é diferente.Não é de papel passado,

é amor de papel presente.

11 de fev de 2011

Metáfora pra quetequero...

Calça Jeans

    A gente percorre lojas e lojas em busca de uma calça que modele o corpo da forma desejada, seja para esconder gordurinhas, para modelar o corpo( umas gostam de esconder o bumbum, outras já de marcá-lo bem). O fato é que todas nós mulheres vamos sempre à procura da calça jeans ideal. Buscamos nos corredores cheios a peça que mais se encaixa no nosso querer daquele momento.  Chegamos em casa, experimentamos umas duas ou três vezes, algumas arrependidas outras confusas, enfim rancamos a etiqueta.[                                               Rancar etiqueta das coisas é um dos atos mais extraordinários e que deve ser motivo de muito estudo entre os estudiosos de plantão, qualquer ser humano sente um prazer enorme em rançar uma etiqueta. Acho que rola aquele negócio de conquista e de se apropriar de fato de algo, seres humanos sentem necessidade de possuir e como na maioria das vezes pessoas não se possuem ,inventaram então as “coisas”. Mas nem é esse o lugar que quero chegar com as minhas calças].
    Após tirar aquele papelzinho fora, a calça já nos pertence, admiramos a beleza nova dela, com todos os bordados e costuras impecáveis. Mas é só na primeira saída que sancionamos de fato se o corte lhe caiu bem. Mas em maior parte as calças dão trabalho, quando nos primeiros passos você já sente certo nível de caimento e passa a noite toda “sungando-a” , ou então acaba com a barra de tanto pisar em cima, e fato que algo de muito desastroso acontecerá.
    Inventaram as calças Jeans para darem trabalho mesmo, pra gente ter que ir a duas costureiras diferentes para mandar apertar no cós, fazer a barra, apertar dos lados, trocar o zíper que estourou porque você achou que depois de tantas calças ficarem largas a próxima você deveria comprar um número menor, quase que desmancha -la de novo e nem sempre/nunca ficamos satisfeita com os consertos.

   Então chegamos em casa e aquela calça velha no armário, aquela surradinha, desbotada, a danada deu trabalho pra ficar nos trinques e depois de tanta trabalheira, justo agora , ela nem serve mais, ou damos uma cortada pra virar um short que de vez em quando lembramos de usar, ou doamos , passamos pra frente. O corpo muda e vamos à luta de novo, achando ótimo ir às compras.Só quando o negócio fica sério e levamos pra casa, que percebemos o trabalho que vai dar pra danada  ficar nos conformes.

10 de fev de 2011


É tão teu
O gosto da minha
mordida

4 de fev de 2011

Barão

Quando madrugar eu vou estar acordado
esperto,certo, de olhos abertos ao seu lado
eu vou guardar seu sono a noite inteira
Eu vou olhar você,não vou parar de olhar
a noite inteira serei a sua sentinela
vou atravessar a madrugada
Eu vou deixar a luz apagada
só olhando pra você
olhando pra você e vendo só você
no escuro e vendo
no escuro e vendo
no escuro e tendo a noite toda pra te ver
Eu vou fechar a cortina
eu vou abrir a retina devagar
E quando madrugar eu vou estar acordado
e quando amanhecer eu vou estar ao seu lado
desperto,vendo seus olhos fechados.