19 de out de 2009

Era dos dois

         O encontro nada casual. Assim que chegou o viu e mesmo que não o conhecesse olhou aquele sorriso como se já o avistara antes. Um sorriso sincero, cheio de suas meninices.
        Passou-se tempo , estações vieram e o frio aqueceu, assim como a aquecera aquele olhar. Como pode haver tanta simplicidade em olhos tão dissimulados? Um olhar que atordoava.
        Agora o conhecia além do sorriso, reconhecera seus anseios e conflitos, desejava não mais apenas a felicidade posto que já o queria em paz .As nuvens  tinha formatos que se desvendavam ao longo da viajem , o reencontro, um coração disparado , um pássaro alçando vôos altivos. O casulo de seus pensamentos naquele momento transformara em belas borboletas, no estômago, quanta emoção, o abraço.
        Presentemente, desvendados os arcanos e contemplado os acasos, a atenção daquele olhar fazia bem ao seu gracejo , o conhecido tornou-se amigo e cá, o apreço por ele é grande e o tornara especial.

Marina R. Gontijo teixeira  
* Saudades do tempo de descobertas, a uma pessoa essencial .


Nenhum comentário: