12 de mai de 2011

Eu respeito os idosos, os idosos de bem com a vida, os idosos educados, os idosos bem humorados, os idosos gentis. Esses eu respeito e muito. Mas tem idosos que não pelo fato de ser idosos, mas pelo fato de virem das profundezas do inferno que eu não respeito mesmo. Mas não respeitar não significa responder com grosseria, desrespeita-lo quanto um ser limitado pela condição física.

 O meu não respeito por alguns anciãos não significa que eu seja indelicada ou os falte com educação. O meu protesto aqui, é simples. São alguns idosos que não respeitam os mais novos, que fazem questão de ser bem mal educados, responder com grosseria, serem injustos, indelicados, pelo simples fato de ter mais idade.

A minha educação foi em grande parte voltada para a construção do conceito respeitabilidade, um conceito básico para  viver em sociedade. Mas em meus dezenove anos deparei-me com muitos idosos que não se preocupavam em respeitar a minha condição de “jovem”.  Essa atitude deve ser trabalhada também. Como uma criança é ensinada a respeitar um velhinho ( com sua imagem de bondoso) se chega no seu prédio e recebe um caminhão de xingamentos, desdém, falta de delicadeza do próprio “frágil” senil? 

O pessoal tem receio de falar mal de idoso, porque é antiético, porque eles são frágeis, porque eles são mais velhos. Eu cansei, cansei de ficar calada com tanta tirania. A minha vontade ( que isso seja apenas uma confissão) é responder a altura as vezes que fui atacada, desmoralizada e envergonhada por ditos injustos  pronunciado por algum idoso.

Repito, eu respeito os idosos, os idosos de bem com a vida, os idosos educados, os idosos bem humorados, os idosos gentis. Os idosos que também me respeitam.

2 comentários:

Brasito disse...

é mesmo te uns que so porque a gente eh mais novo, fica tirando onda dpois se escondem na sua condiçao

lorenaviana1989 disse...

Principalmente em cidade universitária. Sei bem como é.
Sendo que nós, estudantes, somos os principais responsáveis pelo crescimento da cidade.