17 de mar de 2010

.


E aí, até quando deixará de ser você, até quando ficará parado esperando por alguém que te impulsione?Como diria Humberto, tá na hora de você fazer algo por você!
Sabe, eu sei que na maioria das vezes é você quem me acha estranha e não entende todas as minhas questões, mas eu ando um tanto confusa com suas teorias.
É certo que o que eu sei sobre você é apenas uma parte de um todo. E que jamais deixaria exposto suas fragilidades assim de graça.
Mas olha, nós já passamos por todas as etapas, já fomos desconhecidos, conhecidos, paqueras, paixão, amigos, companheiros. Não há razão em continuar achando que isso é um Jogo. Estamos em outro plano, e não há vencedores no final.
E só falo isso, porque me dói saber pouco do muito que fazes por aí. E me dói mais saber que você coloca todas suas atitudes em pretexto de estar ou não com alguém. Submeter seus atos em razão do outro é injusto . Injusto porque acaba atribuindo o outro a ser algo além de companheiro, amor ou qualquer denominação do sentimento.  Impõe que o outro seja sua consciência, tendo sempre que ponderar seus atos, transformando o outro em objeto de apoio, um projeto a Vigilante. E quando a pessoa de apoio não corresponder a suas vontades? Fará o que quiser sem pensar? Pensa, analisando , é puro egoísmo.
Cada um sabe de si, não é por estar com alguém que seus pensamentos mudaram.
Se queres  mesmo voar, é preciso criar asas.
Aprenda a dizer não, a poupar a alma, valorizar seus atos.
Banalizar a vida, não nos leva a lugar algum.
Os dias são lindos mesmo que quietos.
Seja você o responsável pela sua felicidade.
Beijos no coração.  
Mesmo que quieto.

Marina Rosa

Nenhum comentário: