18 de jun de 2011

Hoje, nao ouso dizer nada

Sabe quando toda sua crista, coroa, e pose cai por terra? Quando tudo o que te fazia se sentir superior desmorona? E você não passa de um simples e inútil grão de areia? Estou me sentindo um pouco assim, mesmo com tudo conspirando a favor, que as palavras sejam de compreensão, hoje eu to descrente de mim, to desiludida e sem forças pra seguir em frente.
Eu me sinto como se não sentisse nada além de um aperto agonizante no coração, hoje não quero ficar bonita, não quero ver pessoas,quero sentir cada gosto dessa fossa. Cada sentimento doentio que até então não  me tinha doído. Cada parte de mim que me parece incapaz de voltar a ser tão alto confiante como antes, hoje o passado me dói como uma faca no peito.
É uma dor que eu sei que pela abrangência do tempo eu não precisaria sentir, mas é inevitável, é um reflexo da minha cabeça pensante, que também tem seu lado sombrio e que pensa coisas que por mais que eu as censure, sempre volta a me incomodar.
Hoje eu me sinto um pouco menos eu, e muito mais você. Às vezes sinto falta da minha face durona, eu tenho medo das minhas entreganças. Eu sou a minha pior inimiga. Mas, é inevitável, é inevitável esses pensamentos.
Hoje cada movimento me dói, como se eu estivesse me decompondo viva, porque eu odeio me perder dentro das circunstancias.
Estou sem forças para descrever realmente o flagelo que estou me sentindo.


Nenhum comentário: