14 de mai de 2010

A carta

Escrevo para que saibas que esse meu silêncio deveria ter falado muito. Deveria ter alcançado seus pensamentos e perturbar tua paz. Esse meu silêncio tinha o objetivo de desestruturar esse seu equilíbrio.
Mesmo com meu sumiço você permaneceu aí, continuou sua rotina, parece que não percebe que está deixando o amor passar. Hey cara, acorda! Eu tenho tentado de todas as formas, te viver de novo, te sentir, tenho pensado em sermos de novo tudo aquilo que não fomos.
Então escrevo , como última cartada. Meu último ato desesperado para te ter de volta. Entrego nesse papel , minha derradeira esperança.
E se por mais uma vez, você permanecer inerte , paralisado , indeciso , deixarei que morra em mim essa vontade de querer-te a todo instante.
Então, me diga, me dê um sinal, mande uma resposta.
Eu preciso continuar minha vida, e não queria te deixar pra trás.
Um grande abraço e um beijo.


ps: E se nada disso valer pra você, pegue essa carta e faça uma fogueira. Nesse frio ela há de te aquecer.

Nenhum comentário: