29 de jun de 2009

Para o ausente.

.

Aquele que um dia esteve tão perto de nós, aquele que já emprestamos o ombro para que chorasse suas mágoas. Dedicamos-nos a cultivar essa amizade, nos doamos por você, nos dividimos em pedaços para repartir qualquer sentimento bom. Sentimento que te fizesse feliz. Te ver sorrir era tão importante quanto a nossa felicidade. Dias, noites, semanas meses anos, dedicados a essa união tão simples e pura. Mais é que em devaneios, todos os sonhos vieram a se apagar, e a escuridão instalou-se no meio de nós.

Ainda não terminei, mais aqui está um fragmento da carta que mandarei ao passado.

Nenhum comentário: